BIOLOGICUS FORUM

Forum de Estudantes de Biologia da Universidade do Porto


A sexta grande extinção pode estar a caminho

Compartilhe
avatar
Varicela

Número de Mensagens : 853
07032011

A sexta grande extinção pode estar a caminho

Mensagem por Varicela

http://naturlink.sapo.pt/article.aspx?menuid=20&cid=31547&bl=1
A sexta grande extinção pode estar a caminho



De acordo com um estudo publicado na revista Nature, os investigadores concluíram que a perda de espécies na taxa actual pode levar à extinção em massa num período de 600 a 22 mil anos.

O nosso planeta já sofreu cinco grandes extinções nos últimos 540 milhões anos. Em cada uma destas cinco ocasiões, mais de 75% das espécies animais se extinguiram. Um grupo de paleobiólogos da Universidade da Califórnia em Berkeley, sugere agora a ideia que podemos estar no limiar de uma sexta extinção massiva como base de um novo estudo.
Estima-se que nos últimos 500 anos, pelo menos 80 espécies de mamíferos se extinguiram, de um total de 5.570 espécies. Segundo a investigação, para a qual foram estudados os fósseis de há 65 milhões de anos, nesta altura a Terra perdia menos de duas espécies de mamíferos em cada milhão de anos, bastante menos que o ritmo de extinção actual: um mamífero em cada seis anos.
O autor principal do estudo, Anthony D. Barnosky, professor de biologia na Universidade de Berkeley, curador do Museu Universitário de Paleontologia e investigador do Museu Universitário de Zoologia de Vertebrados, diz que " se as espécies classificadas actualmente como em perigo de extinção forem realmente extintas e a taxa de extinção continuar inalterada, a sexta grande extinção poderia ocorrer num período tão pequeno como entre 600 e 22 mil anos”.
Segundo Barnosky, é ainda possível evitar chegar-se a esse ponto sem retorno, sendo para isso necessário contrariar os diferentes factores de ameaça, tais como, a fragmentação dos habitats, causado por acções como o desmatamento desmedido; as espécies invasoras que se movem pelo planeta; as doenças e o aquecimento global, causado pelo homem e o aumento do número de pessoas no planeta.
“Até agora apenas perdemos 1 ou 2 % de todas as espécies dos grupos que podemos examinar claramente. De acordo com estes dados, parece que estamos a caminhar para a extinção, mas ainda temos muita vida na Terra para proteger ", continuou Barnosky. "É muito importante que concentremos as nossas energias e as nossas leis de conservação, se não queremos ser a espécie cuja actividade causou a extinção massiva".
"Obviamente que é um aviso”, explica Barnosky. "O que sabemos é baseado em observações de alguns galhos de um grande número de ramos que dá uma árvore na vida". O biólogo pedeque se realizem mais investigações para examinar outras espécies em profundidade, já que este estudo é baseado principalmente em mamíferos por ser a espécie que está melhor documentada nos fósseis.
"Este estudo destaca a necessidade de conservar as espécies em perigo crítico, em perigo e vulneráveis ", aponta Barnosky. "Com estas espécies, a biodiversidade da Terra mantém-se em boas condições. Mas se a maioria destas espécies morrerem, ou desaparecerem ao longo dos próximos 1000 anos, chegamos à sexta extinção massiva”.
Fonte: www.elmundo.es
Leituras adicionais:
Novo estudo calcula em quase 20% as espécies de vertebrados em risco de extinção

Espécies invasoras estiveram na origem da Extinção em Massa há 378-375 milhões de anos
Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking


    Data/hora atual: Ter 24 Out 2017, 06:45