BIOLOGICUS FORUM

Forum de Estudantes de Biologia da Universidade do Porto


Bióloga portuguesa descobre escaravelho predador único no Mu

Compartilhe
avatar
Varicela

Número de Mensagens : 853
08032011

Bióloga portuguesa descobre escaravelho predador único no Mu

Mensagem por Varicela

http://sic.sapo.pt/online/noticias/vida/Biologa+portuguesa+descobre+escaravelho+predador+unico+no+Mundo.htm
Bióloga portuguesa descobre escaravelho predador único no Mundo



Um escaravelho predador, único no mundo, foi descoberto nas grutas da Serra do Sicó pela bióloga portuguesa Sofia Reboleira, que assim aumenta para seis as espécies descobertas.



"É o primeiro escaravelho estafilinídeo cavernícola de Portugal Continental, ao qual foi dado o nome científico Domene Lusitanica, em alusão à sua restrita distribuição geográfica, confinada às partes profundas da Serra do Sicó", disse à Lusa a bióloga Sofia Reboleira.

O escaravelho, com quase um centímetro de comprimento é "o maior dos Domene Ibéricos" e, segundo a bióloga, apresenta várias caraterísticas morfológicas de adaptação à vida nas grutas.

"É um escaravelho predador, despigmentado, carece de verdadeiros olhos e asas e tem o corpo alongado", descreve Sofia Reboleira.

Pertencente a um subgénero cujos parentes mais próximos se encontram no noroeste da Península Ibérica, este escaravelho tem a particularidade de não existir em nenhuma outra parte do mundo o que, segundo a bióloga "coloca grandes desafios em termos de conservação".

Agressões como "a utilização de pesticidas e inseticidas, a destruição das grutas nas zonas de exploração de inertes e os problemas associados ao escoamento de esgotos industriais e urbanos no único local do mundo onde vivem, colocam as espécies estritamente cavernícola, em vias de extinção" explica.

Com esta eleva-se as seis as espécies descobertas por Sofia Reboleira.



A descoberta ocorreu durante o trabalhos de campo no âmbito do doutoramento de Sofia Reboleira, orientado pelos professores Fernando Gonçalves (CESAM & Departamento de Biologia, Universidade de Aveiro) e Pedro Oromí (Universidade de La Laguna, Espanha).

O trabalho foi financiado pela Fundação Para a Ciência e Tecnologia da qual a bióloga é bolseira.


Lusa



var mycontent=new switchcontent("switchgroup2", "p")
mycontent.setStatus('. ', '. ')
mycontent.setColor('', '')
mycontent.collapsePrevious(false)
mycontent.setPersist(false)
mycontent.defaultExpanded()
mycontent.init()

Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking


    Data/hora atual: Ter 24 Out 2017, 06:48